quarta-feira, 25 de maio de 2016

Ih Viajei! Cusco - Parte 5

Oiii gente!

Vou começar a última parte da viagem pra Cusco. Ahhhh... Eu sei! Eu também amei a viagem!

Vamos lá!
Nesse post vou juntar o penúltimo dia com o último, porque fiz pouca coisa no último dia, ta?!

No penúltimo dia de viagem, resolvemos ir conhecer o Vale Sagrado dos Incas.
O Vale Sagrado é uma série de cidades Incas. Dizem que as Lhamas não andavam mais que 15 Km, por isso os Incas construíram alguns lugares para descansarem, até as Lhamas voltarem a andar (Lhamas tem personalidade! Hahaha... Eles falam lá que elas pertencem a uma categoria e tem até sindicato... Hahaha).

Nesse passeio passamos por paisagens maravilhosas (MESMO!), e conhecemos 3 cidades Incas, fora as que passamos durante o passeio.


Cidade antes de Pisaq - Vale Sagrado

Lhama, Alpaca e Vicunha - Vale Sagrado

Pelo caminho - Vale Sagrado


Bom, a primeira cidade Inca que fomos é Pisaq.


Entrada de Pisaq - Vale Sagrado



Ela não é muito grande como Machu Picchu. Me parece que a especialidade lá era a agronomia, pois tem um espaço muito grande para plantio, e o clima parece bom (não entendo muito de plantação, mas creio que muita chuva é ruim).
Pisaq é muito linda! A vista pra cidade vizinha é sem descrição.

Pisaq - Vale Sagrado

Pisaq - Vale Sagrado

Pisaq - Vale Sagrado


Depois que saímos de Pisaq, fomos almoçar na cidade de Urubamba. O nome do restaurante era alguma coisa Inca (eu não lembro o nome completo do restaurante). Foi um almoço bem complicado... Rs. Comida tipica Peruana, pra uma pessoa que não come qualquer coisa. Já imaginaram o que deu né?! Comi apenas o que me era conhecido e olhe lá.
Pra quem tem problema com comidas diferentes, aconselho se preparar!

Saindo do restaurante fomos para a cidade de Ollantaytambo (aquela mesmo, da estação de trem). 

De todas as cidades Incas, a de Ollantaytambo foi a que mais me encantou. Até mais que Machu Picchu. 
Me parece que ela foi uma cidade com construção acabada (Machu Picchu não foi terminada). O lugar onde ela se localiza é lindo! Tem um rio na parte de baixo (acho que perto da área de lazer).
Se você olha pra uma montanha tem construção, se você olha para outra montanha, tem também.
É uma cidade muito organizada... Enfim, foi a minha preferida.

Minha dica para esse lugar é: prepare seus olhos pra ver coisa escondida, pernas pra subir incontáveis escadas e pulmão pra conseguir respirar. Rs




Morro que subimos ao fundo (meu guia com bandeira amarela) - Ollantaytambo - Vale Sagarado

No morro... Rs - Ollantaytambo - Vale Sagrado

Ollantaytambo - Vale Sagrado

Ollantaytambo - Vale Sagrado

Essas fotos mostram a parte de baixo da cidade (vai descendo a página). Ela era dividida em Núcleos. Pra cima ficava o templo e algumas casas. Pra baixo ficava o rio, área de lazer, algumas casas e uma área que utilizava a água do rio em sua estrutura (não sei o que era, mas era lindo! Rs).


Ollantaytambo - Vale Sagrado

Ollantaytambo - Vale Sagrado

Ollantaytambo - Vale Sagrado

Ollantaytambo - Vale Sagrado


Por fim, nossa última cidade foi Chinchero. Porém chegamos lá de noite e quase não se via nada. 
Essa cidade ainda estava em escavação. Por isso, não podíamos andar muito, fora a escuridão.
O que valeu mesmo, foi ver o céu cheio de estrelas e uma lua maravilhosa.



Chinchero - Vale Sagrado

Chinchero - Vale Sagrado


Outra coisa que me chamou muito a atenção foi, que no caminho para Chinchero, podemos ver as montanhas com neve. Essas montanhas fazem parte das Cordilheiras dos Andes. Consegui ver melhor a neve no Peru, do que no Chile quando fui ao Vale Nevado (se você não leu, Clique Aqui). Eu fiquei muito encantada.


Montanha com neve - Vale Sagrado


Bom, o passeio ao Vale Sagrado acaba aqui. 
Nos o contratamos no próprio hotel. Pagamos 80 Soles por pessoa e em Pisaq compramos o boleto turístico por 70 soles por pessoa (já falei do boleto turístico. Se você não viu,  Clique Aqui).

Esse é um dos passeios que você não pode deixar fora da lista. Vale muito a pena.

Agora, indo pro nosso último dia...
Gente no último dia andamos mais um pouco por Cusco. Almoçamos num restaurante muitooo bom, chamado Valentina, que fica na Avenida Del Sol. Recomendo.
Depois disso voltamos pro hotel, arrumamos a mala.
De noite fomos ao shopping, comer e encontrar um amigo meu, que mora lá (coisa rápida, infelizmente).
Foi isso!

Espero que vocês tenham curtido a viagem comigo!

Beijos,
Mari












sexta-feira, 20 de maio de 2016

Ih Viajei! Cusco - Parte 4

Oiii Gente!

Vamos seguindo com o "Ih Viajei". Na parte 4 vou contar sobre o nosso dia "cultural".

Depois de um dia puxado em Machu Picchu, decidimos dormir até um pouco mais tarde e depois andar pelas ruas de Cusco.

Almoçamos de novo no restaurante que contei na parte 2, o Cava Mora. Dessa vez eu comi um baby beef maravilhoso. Recomendo muito!

Depois de almoçar, seguimos para os museus da cidade.

O primeiro lugar que visitamos, não era um museu, mas uma igreja.
Chamada Compañia de Jesus.

Gente, que igreja linda! Tinha muitos detalhes nos altares dos santos, inclusive madeira talhada com ouro.
Para entrar pagamos 10 soles.
Lá não podia tirar fotos (eu tirei escondida, de novo!), mas podíamos andar por toda a igreja, inclusive na torre.


Coro com vista pro altar - Igreja Compañia de Jesus

Coro com vista pro altar - Igreja Compañia de Jesus

Escada na Torre - Igreja Compañia de Jesus


Na torre podemos ter uma vista panorâmica da Plaza de Armas.


Vista da Torre - Igreja Compañia de Jesus


Depois de sair da igreja, fomos andando meio sem rumo e chegamos a Casa Conha, conhecida também como Museu Machu Picchu.
Lá tive autorização para tirar fotos sem flash.

Esse museu conta, através de fotos e maquetes, a história da descoberta de Machu Picchu, sua escavação e mostra os objetos encontrados lá, até uma ossada (que eu passei bem rápido por ela! kkk).


Maquete - Museu Machu Picchu - Casa Concha

Mapa - Museu Machu Picchu - Casa Concha

Maquete de Machu Picchu - Museu Machu Picchu - Casa Concha

Objetos Incas - Museu Machu Picchu - Casa Concha


Essa casa tinha muitos segredos escondidos atrás das pinturas das paredes (como da pra ver nas fotos). Ela fez parte de uma escavação arqueológica no ano de 2007. Legal, né?!


História da Casa Concha - Museu Machu Picchu - Casa Concha

História da Casa Concha - Museu Machu Picchu - Casa Concha

Pátio Casa Concha - Museu Machu Picchu - Casa Concha

Pintura descoberta - Museu Machu Picchu - Casa Concha

Bom, depois desse passeio, fomos até o museu de Qoricancha, porém o preço pra entrar era muito alto! Custava 130 soles por pessoa. Ai ficamos admirando só o jardim mesmo.


Jardim - Museu Qoricancha

Jardim - Museu Qoricancha


Pra quem tem interesse, tem um tal de boleto turístico. Que você pode comprar e ter direito a descontos nos museus e ir ao passeio no Vale Sagrado (próximo post). Ele tem dois tipos: Parcial, que só vale por 2 dias, e só esta liberado o passeio pro Vale Sagrado; E tem o Geral, que vale por 10 dias, e você pode ir ao Vale Sagrado e aos museus. Só não entendi se o Geral te da desconto nos museus ou se você entra de graça. Fico devendo essa pra vocês.


Bom gente, é isso!
No próximo post vou contar sobre o nosso passeio para o Vale Sagrado.

Beijos,
Mari




quarta-feira, 18 de maio de 2016

Ih Viajei! Cusco - Parte 3

Oiiii gente!
Agora que voltei e consegui conexão com a MINHA internet, vamos continuar a saga da viagem.

Essa é a terceira parte do "Ih Viajei" aqui de Cusco. Se você não leu a primeira parte (Clique Aqui), e se não leu a segunda (Clique Aqui).

Hoje vou contar sobre a minha visita ao Machu Picchu.

Para chegar lá, tivemos que pegar uma Van, que saiu aqui do meu hotel. Essa van te leva até a estação de trem de Ollantaytambo. A viagem demorou cerca de umas 2 horas no máximo.

Estação de Ollantaytambo

Chegando lá, pegamos um trem, que nos levou até Águas Calientes. Levamos cerca de 2 horas também.

Trem que nos levou até Águas Calientes

Estação de Águas Calientes.


Assim que chegamos em Águas Calientes, um guia (no caso fechamos o pacote de passeio na CVC, que já incluía os guias) nos recepciona e nos leva a uma fila para pegar um ônibus.

Só deixando claro que, quem não fechar o passeio aqui por agências de viagem, pode comprar lá também. Porém o valor é de 240 dólares (não sei o valor em Soles, moeda peruana), fora entradas e outras coisas que você pode ter que comprar para ir.

Voltando... Pegamos esse ônibus, que leva de 25 a 30 minutos para subir até a montanha (Machu Picchu), onde fica a cidade.

Ônibus a caminho de Machu Picchu

Paisagem pelo caminho de Machu Picchu

Paisagem pelo caminho de Machu Picchu


Chegando a Machu Picchu, você passa por uma espécie de Alfandega, onde mostra seu passaporte ou documento e sua entrada (já paga). Depois de passar, pode até carimbar o passaporte (eu amei isso!).

Carimbo no passaporte - Machu Picchu


Nesse momento (que já estamos com outro guia, rs) começamos a subir uma série de escadas.
Não sei por qual motivo, mas ainda vou descobrir, os Incas só construíam suas cidades em montanhas bem altas. E acredite quando digo que é muita escada.


Escadas de Subida e Descida, e subida e Descida - Machu Picchu


Pois bem... Subimos e descemos um monte de degraus, e então chegamos ao lugar mais lindo, maravilhoso e cheio de energia boa.
Lhes apresento um pouco da cidade Inca mais famosa: Machu Picchu!

Machu Picchu signica "Velha Montanha". Ela esta localizada no Peru no Estado de Cusco. Fica a 2.450 metros de altura do nível do mar.
O oxigênio aqui é diferente do que estamos acostumado no Brasil. Qualquer movimento a mais que se faça, já cansa bastante e dá a impressão de que falta ar.

Machu Picchu - Vista Geral

Machu Picchu - Vista Geral


Algumas informações são importantes de acrescentar:

  • Lá não podemos ficar pulando (por conta das vibrações).

  • As construções eram feitas de pedras, palhas (telhados), galhos de árvores e barro.

  • Tinham dois nomes para as técnicas construtivas: Rustica e Incas Imperial (fazendo uma tradução livre ao que a guia falou). Rustica, utilizava pedras e barro. Incas Imperial utilizava pedras. 
Só deixando claro, eu acho que era isso, ta? Já estava difícil entender tudo o que ela falava (não falo espanhol, e não! Não é a mesma coisa que português).
Quando eu tiver mais material, prometo fazer um post falando sobre os materiais e técnicas construtivas certinhas.

  • As paredes tinham inclinações de 1º a 10º graus. Isso para evitar que caíssem caso houvessem terremotos. Mesmo motivo que suas janelas e portas tinham formatos trapezoidais. 

  • Tinham um sistema de irrigação sensacional! Era tão bem feito, que a água captada no topo da cidade, ia descendo a ponto de irrigar todos os degraus (ver na foto) destinados para a agricultura.


Degraus (ao fundo) destinados a área de agricultura - Machu Picchu

Degraus (ao fundo) destinados a área de agricultura - Machu Picchu


As casinhas (com os telhados, bem no fundo) da segunda foto, eram destinadas para armazenamento de tudo o que era colhido.
Casinhas de armazenamento de produtos colhidos


Pelo que pude entender uma especialidade de cultivo dos Incas eram as "papas", que na nossa língua são as famosas batatas.

Foto Panorâmica de um pedaço de Machu Picchu 

Templo de Condor - Machu Picchu

Área de lazer (com uma Lhama) - Machu Picchu

Templo de Las Três Ventanas - Machu Picchu

Observem nessa foto do Templo de Las Três Ventanas a forma das janelas. São trapezoidais.

O povo Inca, além de saber muito sobre uma engenharia fantástica, ainda sabiam astrologia e sabiam se orientar como ninguém.

Lá tinha um espaço (aberto) onde possuía uma pedra perfeitamente orientada aos quatro pólos terrestre (norte, sul, leste e oeste).

Bússula provando a orientação da pedra - Machu Picchu

Pedra com orientação dos pólos terrestre - Machu Picchu


Só explicando como esta orientada. Onde aparece a perna da guia é Oeste. Lado de cima da pedra (onde aparece uma pontinha de um tênis rosa) Norte. Lado oposto da perna da guia Leste. E a parte debaixo da pedra (oposto ao tênis rosa) Sul.

Como eles sabiam disso, sem nossa tecnologia, eu não sei! Só sei que fiquei encantada!


Espelho D'água para estudar Astrologia - Machu Picchu


Nesses espelhos d'água eles estudavam astrologia. Ele fica localizado num templo que não tinha cobertura. O céu se refletia nos espelhos, e assim eles estudavam as estrelas e o que mais desse pra ver no céu. Fantástico, não?!


Bom galera, é isso!
A visita foi muito boa! Choveu muito. Uma outra dica que deixo, é de levar uma capa de chuva ou guarda chuva.

Esse é um daqueles lugares que a gente classifica de "ver antes de morrer".
A energia de lá é tão boa que recarrega as suas forças.

Espero que tenham gostado!

Beijos,
Mari